Tradutor

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
DEVIDO AO HISTÓRICO MANIFESTO NACIONAL DE 17/06/2013
O BLOG "WIKILEAKSAPOIO" VOLTARÁ COM AS POSTAGENS DIÁRIAS, VOLTADAS PRINCIPALMENTE PARA OS ATUAIS MANIFESTOS NO BRASIL E NOS PAÍSES QUE ESTÃO APOIANDO A CAUSA DA NAÇÃO BRASILEIRA!!!

#OGIGANTEACORDOU

domingo, 13 de fevereiro de 2011

[OFF] Começa na Colômbia última missão para libertar reféns das Farc

Um terceiro refém deve ser entregue neste domingo, segundo ex-senadora.
Missão, que tem apoio do Brasil, é parte de acordo firmado em dezembro.

 

A missão humanitária que deve buscar o último grupo de reféns que a guerrilha das Farc prometeu libertar esta semana na Colômbia, partiu este domingo às 9h30 locais (12h30 de Brasília) para a selva na região central do país.

As Farc, que se comprometeram em libertar no domingo dois militares, devem entregar um terceiro refém à comissão humanitária, conforme anunciou no sábado a ex-senadora Piedad Córdoba, mediadora da libertações. A missão conta com o apoio do Brasil, cujo Exército cedeu os helicópteros usados no resgate, e da organização humanitária Cruz Vermelha.

Helicóptero militar brasileiro, com os símbolos da Cruz Vermelha Internacional, pousa no aeroporto de Villavicencio, na Colômbia, nesta terça-feira (8). (Foto: AP)
Helicóptero militar brasileiro, com os símbolos da Cruz Vermelha Internacional, pousa no aeroporto de Villavicencio, na Colômbia, na terça-feira (8). (Foto: AP)
"Carlos Alberto Obando Pérez também voltará amanhã para casa. Amanhã não abraçaremos dois, mas três libertados. Que felicidade", escreveu Córdoba em seu Twitter.

O policial Obando Pérez trabalhava como escolta quando foi sequestrado em 28 de dezembro de 2010 no departamento de Tolima (centro), zona onde deve ser entregue na companhia de outros dois reféns.

Com Obando, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) entregarão o major da polícia Guillermo Solórzano, sequestrado em junho de 2007, e o cabo do exército Salín Sanmiguel, preso desde maio de 2008.

Na sexta-feira foram libertados o vereador Armando Acuña e o marinheiro Henry Solórzano, depois que uma operação similar libertou na véspera outro político, Marcos Baquero.

Os cinco foram sequestrados entre 2007 e 2010, e suas libertações foram oferecidas pelas Farc em 8 de dezembro passado, em desagravo à ex-senadora e negociadora Piedad Córdoba, que perdeu seu mandato acusada pela Procuradoria Geral de vínculos com as Farc.

Fonte: G1

Wikileaks Perú: Del Castillo pidió apoyo a embajada de EE.UU. para que Lourdes Flores admita derrota

Se reunió en 2006 con un consejero político estadounidense. Buscaba formar una alianza para derrotar a Ollanta Humala en segunda vuelta
 

Muchos peruanos se vieron en una encrucijada en la contienda electoral de 2006, cuando, días después de la primera vuelta, los primeros resultados de la ONPE mostraban una competencia bastante reñida en el segundo lugar entre Alan García y Lourdes Flores. El candidato aprista tenía el 24,52% de los votos, mientras que la de Unidad Nacional, 23,40%. El ganador, que no se sabría sino hasta semanas después, iría a la segunda vuelta con Ollanta Humala, a quien las encuestas mostraban como vencedor si se enfrentaba a Flores.

En ese momento entró a tallar Jorge Del Castillo, secretario general aprista, quien se reunió con el consejero político de la embajada estadounidense para hacerle dos proposiciones con un solo objetivo: que el candidato del Partido Nacionalista no gane las elecciones.

Así lo dice uno de los cables de la Embajada de Estados Unidos en Lima, los cuales fueron entregados por Wikileaks a El Comercio. Según el documento, Del Castillo pidió ayuda para convencer a Lourdes Flores de que aceptase su derrota y se una al Apra para formar una coalición que logre derrotar a Humala.

La nota diplomática concluye cuando el consejero político asegura que conversará con sus superiores sobre los pedidos de Del Castillo.

El segundo pedido del secretario general aprista fue el apoyo para convencer al candidato de Restauración Nacional, Humberto Lay, quien había obtenido más del 4% de los votos, para que se una a la coalición.

Wikileaks entrega a El Comercio los cables sobre el Perú

PARA TER ACESSO AO MATERIAL COMPLETO, ACESSE: http://elcomercio.pe/impresa/

[OFF] Barack Obama elogia o compromisso do exército egípcio

mapa do egito com dados (Foto: Editoria de Arte / G1)
Mapa do egito com dados (Foto: Editoria de Arte / G1) Renúncia

O presidente Barack Obama elogiou no sábado o compromisso do exército egípcio de transferir o poder a civis, informou a Casa Branca.

"O presidente pediu hoje a vários dirigentes estrangeiros para continuar com as consultas com seus colegas sobre a questão dos últimos acontecimentos no Egito", disse o comunicado.

Mais cedo, o Conselho Supremo das Forças Armadas, que assumiu o comando do país após a renúncia de Mubarak, havia afirmado que respeitará todos os tratados internacionais firmados pelo país, e se disse comprometido em entregar o governo aos civis -embora sem dar um prazo específico para isto.

O presidente Hosni Mubarak, de 82 anos, renunciou ao cargo nesta sexta-feira, após um governo de quase 30 anos que era contestado desde 25 de janeiro por grandes manifestações populares.

O anúncio da renúncia foi feito pelo recém-nomeado vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, em um curto pronunciamento na TV estatal. Mubarak entregou o poder ao Conselho Supremo das Forças Armadas, que está à frente do processo de transição.

Os crescentes protestos que derrubaram Mubarak deixaram mais de 300 mortos e 5.000 feridos, inspirados pela queda do presidente da Tunísia, e tiveram impulso na internet, que comemorou a queda do ditador.

Fonte: G1

[OFF] Prioridade é segurança e retorno à normalidade, diz premiê egípcio

Ahmed Shafiq disse que situação da economia do país após crise é 'estável'. Conselho de ministros se reuniu pela 1ª vez após renúncia de Mubarak.

O primeiro-ministro egípcio, Ahmed Shafiq, afirmou neste domingo (13) que a "maior preocupação" do governo provisório é restaurar a segurança e que a prioridade é "retornar à normalidade" do país.
Shafiq fez as declarações em uma coletiva de imprensa após finalizar a primeira reunião do Conselho de Ministros do governo provisório, que assumiu o comando do país após a renúncia de Mubarak, na última sexta, após 30 anos no poder.

Segundo o primeiro-ministro, a situação da economia do país, após 18 dias de paralisação pelos protestos antigoverno, é "estável". "A situação da nossa economia é sólida e coesa", disse. "Temos reservas suficientes para o período que virá [de transição política] e uma situação confortável."

De acordo com o premiê, se a instabilidade continuar, o país deve enfrentar alguns obstáculos e atrasos, sem dar maiores detalhes.

Vida normal
Na manhã deste domingo, militares começaram a remover as últimas barracas de protestantes que acamparam na praça Tahrir, foco dos protestos no Cairo, num esforço para liberar o trânsito e retornar à vida normal.
Os militares pedem aos manifestantes que retornem ás suas casas. Alguns se recusam a deixar o local. "Ainda há muita reinvindicação a ser atendida. Eles não implementaram nada ainda", disse o egípcio Ashraf Ahmed, que disse que permaneceria na praça após os militares removerem sua barraca.
Manifestante antigoverno senta no chão da praça Tahrir, local símbolo dos protestos no Egito, enquanto militares removem barracas, neste domingo (13)  (Foto: Yannis Behrakis / Reuters)
Manifestante antigoverno senta no chão da praça Tahrir, local símbolo dos protestos no Egito, enquanto militares removem barracas, neste domingo (13) (Foto: Yannis Behrakis / Reuters)
O tráfego também começa a voltar ao normal pela primeira vez em mais de duas semanas na região central do Cairo, com a ajuda dos militares.
 
Gabinete

O novo gabinete egípcio, nomeado ainda por Mubarak antes de deixar o poder, não deverá sofrer uma grande mudança e vai supervisionar a transição política nos próximos meses, disse um porta-voz neste domingo.

Autoridades egípcias disseram no sábado que investigam acusações contra ex-ministros do país. As informações são da TV estatal.
Segundo a emissora, viagens foram proibidas para o ex-premiê Ahmed Nazif e o ex-ministro do interior Habib al-Adli. Os dois foram demitidos por Hosni Mubarak antes de sua renúncia à presidência, na sexta-feira.
A proibição também foi imposta a Anas el-Fekky, titular do ministério das informações. Ele foi reconduzido ao cargo em um gabinete montado às pressas para satisfazer aos manifestantes.

Fonte: G1



 

[OFF] Egito: Conselho militar fará primeira reunião neste domingo

Um poder de transição, com o Exército no comando e um governo para administrar os assuntos cotidianos, faz a vida no Egito começar a voltar ao normal, com o retorno do fluxo de trânsito na Praça Tahrir, epicentro da revolta no Cairo.

O Exército, garantidor do poder após a queda na sexta-feira do presidente Hosni Mubarak, prometeu no sábado uma "transição pacífica para um poder civil eleito". O Conselho Supremo das Forças Armadas anunciou que o governo nomeado por Mubarak poucos dias antes de sua renúncia permanecerá no poder para administrar os temas correntes. O conselho terá sua primeira reunião desde a renúncia de Mubarak neste domingo. Até o momento, o Exército não anunciou datas ou apresentou medidas concretas para a transição.

Ao mesmo tempo, o Cairo recuperava paulatinamente a normalidade. Durante a manhã deste domingo, o tráfego foi liberado na Praça Tahrir, epicentro da revolta popular que deixou pelo menos 300 mortos, segundo a ONU. Apenas uma parte da praça, ainda ocupada por centenas de manifestantes, permanecia fechada ao trânsito. Os protestos nesta área durante 18 dias paralisaram o tumultuado centro da cidade.

A PARTIR DE DOMINGO 13/02/2011 
O BLOG "WIKILEAKSAPOIO" VOLTARÁ COM AS POSTAGENS DIÁRIAS.
ALGUMAS POSTAGENS TERÃO O MARCADOR [OFF] NO INÍCIO. ESSAS POSTAGENS [OFF] SERÃO SOBRE OS PRINCIPAIS ASSUNTOS NO BRASIL E NO MUNDO E NÃO SOMENTE SOBRE O WIKILEAKS.
AGRADEÇO A COLABORAÇÃO

Assange tem ao menos 4 filhos, diz ex-porta-voz do WikiLeaks

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, tem quatro filhos de entre 6 meses e 20 anos de idade, afirma nesta sexta-feira o site "Gawker", que cita um livro que será publicado em breve e fontes da investigação aberta contra ele na Suécia.

O portal especializado em celebridades reproduziu um fragmento do livro ainda não publicado de Daniel Domscheit-Berg - que abandonou a organização por conta de suas diferenças com Assange - no qual fala de uma suposta obsessão do australiano com a procriação.

"Em várias ocasiões, eu estava com ele em grupos grandes e escutava Julian se gabando do grande número de filhos que tinha feito em várias partes do mundo", escreveu Domscheit-Berg, segundo o "Gawker".

"Ele parecia gostar da ideia de muitos e muitos pequenos Julians, um em cada continente. Se cuidava de algum desses supostos filhos, ou se eles realmente existiam, era outra questão", acrescentou.

De acordo com o site, o voluntário do WikiLeaks e jornalista sueco Donald Bostrom confirmou durante o processo em que Assange é acusado de crimes sexuais na Suécia que o líder da organização tem "pelo menos" quatro filhos de mulheres diferentes.

O "Gawker" assegura ter obtido essa informação de documentos policiais vazados e garante ter confirmado com outro voluntário do WikiLeaks e um velho amigo de Assange.

Essa última fonte afirmou ao portal que o filho mais novo tem apenas 6 meses, enquanto o maior, e o único cuja existência era conhecida, é Daniel Assange, de 20 anos, que mora em Melbourne (Austrália).

As idades de seus outros filhos são desconhecidas, mas ambos também vivem na Austrália, segundo o site.

"Ele se sente obrigado a espalhar seus genes. Em outras palavras, acha que é tão bom que o mundo precisa de mais filhos seus", disse uma fonte anônima do WikiLeaks ao "Gawker".

Fonte: TERRA

Reino Unido ainda não decidiu a extradição do fundador de WikiLeaks

LONDRES (O REPÓRTER) - Julian Assange vai ter de esperar até ao próximo dia 24 para saber se vai ou não ser extraditado para a Suécia. O Reino Unido está analisando o pedido de extradição do fundador do site WikiLeaks num caso onde estaria envolvido em uma violação sexual.
A decisão é esperada para o próximo dia 24. No entanto, ambas as partes têm ainda várias possibilidades de recurso.
Os advogados do australiano ainda tentaram adiar a audiência desta sexta-feira, em Londres. Alegavam que o fato das autoridades suecas terem declarado Assange como “inimigo público número um” não lhe permitia um julgamento justo, na Suécia, onde a justiça o quer ouvir.
No entanto, o juiz Howard Riddle recusou adiar a audiência, a terceira desta semana, e última antes da decisão.

Fonte: O REPÓRTER
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...